Historial Associativo

HISTORIAL ASSOCIATIVO

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DO PERDIGUEIRO PORTUGUÊS

SECÇÃO PRIMEIRA

CATEGORIA DE SÓCIOS

São quatro as categorias de sócios:

  1. Fundadores;
  2. Efectivos;
  3. De Honra;
  4. Honorários.

São sócios fundadores todos aqueles que até à data da escritura de constituição da A.P.P. tenham contribuído para a sua criação e participado nas inerentes despesas.

            • Alfredo José R. Rocha Gouveia
            • Álvaro da Purificação Barreira
            • Arménio de Oliveira Lança
            • Carlos João Gomes da Silva
            • Fausto Ferreira Ramalho
            • Fernando Sérgio Laranjeira da Silva
            • Francisco Pereira Gonçalves
            • Guilherme José Ramos Silva Plácido
            • João António Paula Bessa
            • João de Deus Cabral Cordovil
            • João Filipe Flores Bugalho
            • João Onofre Costa
            • João Pedro Azevedo Oliveira
            • José António Corujo dos Reis
            • José João Monteiro Vidigal Amaro
            • José Manuel Barraca Ribeiro
            • José Manuel Correia
            • José Rogério Pinheiro
            • Júlio António Pires Morais
            • Lúcio Pires do Rosário
            • Manuel António Lopes Brás
            • Manuel Faria de Oliveira
            • Moisés do Nascimento Costa

São sócios de Honra as pessoas ou entidades que tenham prestado serviços excepcionais  à A.P.P. ou aos fins  que esta visa prosseguir e como tal sejam declarados pela Assembleia Geral mediante proposta fundamentada da Direcção.

Sócio Fundador, Fausto Ferreira Ramalho,

Sócio de Honra desde 1990 *

Primeiro Presidente da Direcção da Associação do Perdigueiro Português.

Iniciou a sua actividade de criador em 1965, tendo chegado, no período compreendido entre 1973/76 a registar 31,3% dos cães. Poderemos assegurar que são poucos os cães actuais que não descendam do Canil de Odelouca. Pela sua persistência, quando outros desistiram, pela obra realizada na selecção do perdigueiro português, foi o garante da sua conservação e difusão.

Sócio Fundador, Francisco Pereira Gonçalves,

Sócio de Honra desde 1990 *

Que foi caçador afamado de perdizes de salto, (como consta da entrevista que lhe fez o Dr. João Bessa, em Dez de 1990, na altura com 81 anos) e decano dos expositores portugueses. Homenageado em Mafra, na Exposição Monográfica de 1987, pelo grande carinho e dedicação que toda a sua vida dedicou ao Perdigueiro Português.

Sócio Fundador, Eng. João Filipe Flores Bugalho,

Sócio de Honra desde 1990 *

Primeiro Preside da Assembleia Geral da APP.

A sua dedicação ao cão de parar iniciou-se muito antes do aparecimento da APP. Enquanto Director dos Serviços de Caça, no início da década de 80, promoveu aquilo que podemos chamar a génese das provas de trabalho em Portugal. Em organização conjunto da Direcção Geral das Florestas e do CPC levou a efeito por todo o país “O Dia do Cão de Caça”, que culminou numa final nacional. Foi ainda, pelos seus bons ofícios, que uma delegação portuguesa, constituída por dois elementos da DGF e pelo Dr. João Cordovil, esteve e 1982, em Espanha, a observar as provas de trabalho, que já na altura se realizavam naquele país, observação da qual, resultou, um circunstanciado relatório, de grande valor pedagógico. Foi o promotor para a realização, no dia 5 de Julho de 1981, na Tapada de Mafra, do 1º Concurso do Perdigueiro Português, embrião de todas as Monográficas da APP que se vieram a realizar naquele local. E, todos nós, ainda hoje, temos de agradecer ao Sr. Eng. Bugalho podermos usufruir das credenciais para treino dos nossos cães. A proposta do Clube dos Amigos do Cão de Parar, foi, não só, de aceitação imediata mas entusiasticamente implementada.

Sócio Fundador, Carlos João Gomes da Silva,

Sócio de Honra desde 1990 *

Primeiro secretário e depois tesoureiro da Direcção da APP. Actividades que desenvolveu, durante longos anos, sempre com grande dedicação e sentido de responsabilidade como certamente lhe impunha a sua formação profissional. O seu domicílio, Rua do Poço Coberto 32, Bairro da Encarnação foi durante muitos anos sede desta associação como se ela fizesse parte da sua própria família, ao ponto de lá continuar a receber correspondência dirigida à APP e que nos reenvia, o que muito agradecemos. Há, ainda, quem refira o grande rigor com que lá decorriam as reuniões da direcção. Proprietário de PPs e expositor de mérito foi durante muitos anos sustentáculo desta associação.

Sócio Fundador, Prof. Moisés do Nascimento Costa,

Sócio de Honra desde 1999 *

Criador de longa data e acérrimo defensor das qualidades funcionais do nosso perdigueiro. Caçador inveterado, com larga experiencia de utilização e ensino, do nosso cão, na caça prática, a quem ainda sobra tempo para nos prestar os seus ensinamentos, através dos seus escritos, nas revisas da especialidade, no Boletim da APP e no seu livro “O Ensino Do Cão Perdigueiro”, num estilo inconfundível, simples mas eficaz.

Sócio Fundador, Eng. Manuel Lopo de Carvalho,

Nomeado sócio de honra a título póstumo 2004 *

* Boletim APP nº 43

Sócio nº 25, Luís Carlos Queiroz Silva Fonseca,

Sócio de Honra em 2018

É do conhecimento de todos os sócios da APP que desde há longos anos o nosso sócio e Amigo Luís Fonseca tem dedicado uma boa parte da sua vida à causa do Perdigueiro Português e desta Associação sob diversas vertentes.

Assim, como criador foi responsável pelo apuramento e selecção da raça no binómio trabalho e morfologia contribuindo de forma esforçada para o aparecimento de múltiplos exemplares que se distinguiram nestas provas.

Como concorrente, ao longo de muitos anos em Provas de trabalho nacionais e internacionais conseguiu para os perdigueiros as mais altas qualificações contribuindo como ninguém para o prestígio e divulgação dos perdigueiros.

Como Presidente desta Associação durante 19 anos foi um elemento aglutinador e dinamizador da equipa directiva e da associação período este em que esta atingiu o seu maior prestígio, divulgação e expansão.

Durante este período contribuiu igualmente com inúmeros artigos e intervenções em que divulgou e aprofundou as características da raça.

Apesar da sua actividade ter sido prematuramente reduzida por condições de saúde, todos nós continuamos a contar com a sua contribuição e o seu conselho.

São sócios honorários as pessoas ou entidades que como tal sejam declarados pela Assembleia Geral, mediante proposta fundamentada da Direcção ou de, pelo menos, dez sócios e desde que tenham prestado serviços relevantes à A.P.P. ou aos fins que esta visa prosseguir.

  • Direcção da Revista Vida Rural (1995)
  • Direcção do Jornal do Caçador (1995)
  • Direcção da Revista Calibre 12 (1995)
  • Direcção da Revista Perros de Caza (1995)